ABRAMO, RADHA. "Do cubismo ao prazer de criar". In: 34 artistas contemporâneos brasileiros. São Paulo: Impressão Pancrom, 1988. [Catálogo]

ABREU, GILBERTO DE. Imagens à beira do abismo. A principal revelação da Geração 80 inicia nova fase buscando síntese entre seu trabalho de pintor e a gravura. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 10/01/94, p.1. [Entrevista]
______. O dinossauro perde a cauda. Daniel Senise recicla Giotto e panelas em duas individuais. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 29/05/94, p.2.

ADES, DAWN. "Daniel Senise: vestígios". In: Daniel Senise: ela que não está. São Paulo: Cosac & Naify, 1998, p.17–26.

ALFONSO, LUCIANO. Trajetória da nova arte brasileira. Correio do Povo, Porto Alegre, 14/05/89, p.17.

ALMEIDA, BERNARDO PINTO. Daniel Senise ou a paixão agreste da pintura. Porto: Galeria Canvas, 1991. [Catálogo]
______. Daniel Senise ou a áspera paixão pela pintura. In: Daniel Senise. Porto: Galeria Canvas, 2001. [Catálogo]

ALMEIDA, LÍVIA DE. A ferro e voile. Daniel Senise mostra novas pinturas na Thomas Cohn. Veja Rio, Rio de Janeiro, 10/07/96, p.36.

AMARAL, ARACY (Org.). Museu de Arte Contemporânea da USP: perfil de um acervo. São Paulo: Techint Engenharia, 1988, p.337.
______. Brasil: una nueva generación. In: Brasil: la nueva generación. Caracas: MBA Fundación Museo de Bellas Artes, 1991. [Catálogo]

AMORIM, CLAUDIA. As marcas que vão do chão à tela. Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 21/03/03, p.3.
______. Marcas deixadas no chão. Daniel Senise expõe no MAM e na Silvia Cintra obras feitas com resíduos, aquarelas e fotos. O Globo, Rio Show, Rio de Janeiro, 06/06/08, p.30.

ANJOS, MOACIR DOS. "Sobre a necessidade da pintura". In: Daniel Senise. Recife: Mamam, 2005, p.2–7. [Catálogo]

ARAÚJO, CELSO. O direito de devaneio na nova arte do país. Correio Brasiliense, Aparte, Brasília, 27/01/86, p.17.
______. Um mergulho na sedução do insólito. Correio Brasiliense, Brasília, 04/10/88, p.26. [Matéria e entrevista]

ARAUJO, OLÍVIO TAVARES DE. Beleza hoje. Ouro Preto: 29º Festival de Inverno da UFMG, 1997. [Catálogo]

Artistas latinoamericanos de siglo XX: selecciones de la exposición. Latin american artists of the twentieth century: a selection from the exhibition. In: Latin american artists of twentieth century: a selection from exhibition. New York: MoMA, 1993, p.13–60.

AYALA, WALMIR. Dicionário de Pintores Brasileiros. Vol.II. Rio de Janeiro: Banco Bozano Simonsen: Spala, 1986, p.317.

BARREIRO, GABRIEL PÉREZ. "Construções sobre a pintura". In: Daniel Senise: ela que não está. São Paulo: Cosac & Naify, 1998, p.27–31.
______. "Daniel Senise". In: Daniel Senise. New York: Galeria Ramis Barquet, 1999. [Catálogo]

BARROS, STELLA TEIXEIRA DE. "Brasil: pintura plural". In: Lapiz – Revista internacional de arte, Ano XVI, n.134–135, Madrid, julho–setembro 1997, p.89–98.

BOUSSO, VITORIA DANIELA. Representação, presenças decisivas. São Paulo: Paço das Artes: Secretaria de Cultura do Estado, 1993. [Catálogo]

BROOKE, ELIZABETH HEILMAN. New York Galleries to Show Brazilian Art. The New York Times, The Living Arts, New York, 02/01/95, p.11 e 14, p.11 e 17.

CABALLERO, ALFA I. "Daniel Senise. Siga su propia brújula". In: El Norte, 09/09/94, p.96.

CABALLERO, PATRÍCIA. "Sueños, iluminaciones y pluralidad estilística en Marco". In: ABC, Monterrey, 19/08/94.

CANONGIA, LÍGIA. O retorno abstrato. O Globo, Rio de Janeiro, 21/03/89. ______. Daniel Senise. In: Guia das Artes, ano 3, n.13, São Paulo,1989, p.100.

CHAIMOVICH, FELIPE. "A construção da pintura". In: Daniel Senise. São Paulo: Galeria Brito Cimino, 2001, p.4–5. [Catálogo]

COCCHIARALE, FERNANDO. "Imagens com matéria". In: Galeria, n.13, São Paulo, 1988, p.65–67.
______. Daniel Senise. São Paulo: XX Bienal Internacional de São Paulo, 1989. [Catálogo]

COSTA, MARCUS LONTRA. "Sangue e areia, portões abertos". In: Daniel Senise. Rio de Janeiro: Galeria do Centro Empresarial Rio, 1984. [Catálogo]
______. Daniel Senise. Sensibilidade e competência. Isto É, São Paulo, 02/07/86, p.10.

COUTINHO, WILSON. O grupo da Lapa. Os filhos de Freud com a pintura. Artistas revivem num ateliê o clima artístico do velho bairro. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 10/03/85.
______. Daniel Senise. Um teatro de sensações mutiladas. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 17/07/85.
______. Daniel Senise: 18ª Bienal internacional de São Paulo. São Paulo: Subdistrito Comercial de Arte, 1985. [Catálogo]; PUCU, IZABELA (Org.). Imediações: a crítica de Wilson Coutinho. Rio de Janeiro: Funarte, 2008, p.101–102.
______. A pintura da pintura. A ambiguidade entre a imagem e a cor na obra de Daniel Senise está em exposição na galeria Thomas Cohn. Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 21/03/89, p.6.
______. Daniel Senise. Santa Fé, Granada: Instituto de América: Centro Damián Bayón, 1993. [Catálogo]
______. Virtuosismo nos limites da representação. O Globo, Rio Show, Rio de Janeiro, 12/07/96, p.10.
______. Ilusionismos de um pós–modernista. O Globo, Rio de Janeiro, 17/11/01.
______. Uma experiência sensorial contemporânea. Mostras no MAC, em Niterói, e na Galeria Silvia Cintra confirmam posição de destaque do pintor na cena artística atual. O Globo, Rio de Janeiro, 26/04/03; PUCU, IZABELA (Org.). Imediações: a crítica de Wilson Coutinho. Rio de Janeiro: Funarte, 2008, p.229–230.

CUNHA, ALÉCIO. BH vê a pintura potente de Senise. In: Hoje em Dia, Belo Horizonte, 02/06/98, p.1.

CYROULNIK, PHILIPPE. Ameriques: 8 artistes du nouveau monde. Figeac: Centre Lotois d"Art Contemporain — Ameriques, 1992, p.7. [Catálogo]

Daniel Senise, da "geração 80" mostra pintura de vanguarda. Pouca cor, mas muita energia. O Globo, Rio de Janeiro, 28/08/84.

Daniel Senise/Vida de pintor enquanto jovem. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 21/06/86.

Daniel Senise: um clássico da nova Geração Oitenta. Jornal do Commercio, Caderno C, Recife, 21/08/90.

Decolagem segura: com uma produção intensa e pouco conhecida, Daniel Senise revela–se um grande talento da pintura jovem. Veja, São Paulo, 27/03/85, p.143–144.

DOCTORS, MÁRCIO. A emergência do represado. São Paulo: XVIII Bienal de São Paulo, 1985, p.219. [Catálogo]

EMERICH, LUIS CARLOS. Premio Marco: un final como principio. In: Premio Marco 1995. Monterrey: Museu de Arte Contemporânea de Monterrey, 1996, p.18–26. [Catálogo]

Entrevista com Daniel. In: Papel das Artes, Rio de Janeiro, n.7, junho e julho de 2008, p.11–15. [Entrevista]

Expressionismo dramático e denso. In: José, n.521, Brasília, julho 1986.

FABRIS, ANNATERESA. "Fragmentação e pluralidade". In: Guia das Artes, ano 4, n.16, São Paulo, 1989, p.78–82.

FAGUNDES JR., CARLOS UCHÔA. Daniel Senise desafia leitura linear da arte. O artista plástico inaugura hoje sua primeira individual em São Paulo desde 1987, expondo nove telas. Folha de S. Paulo, Ilustrada, São Paulo, 14/10/93, p.4.

FARIAS, AGNALDO. "Breve roteiro para um panorama complexo: a produção contemporânea (1980 a 1994)". In: AGUILAR, NELSON (Org.). Bienal Brasil século XX. 2ª ed. São Paulo: Fundação Bienal de São Paulo/MEC/FAE, 1994, p.424–441. [Catálogo]
______. "The Piano Factory". In: Daniel Senise. São Paulo: Instituto Tomie Ohtake: Instituto Takano: Editora Códex, 2002.
______. "The Piano Factory". In: FARIAS, AGNALDO; MELLO, ALEXANDRE. Daniel Senise: The Piano Factory. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio Editorial, 2002.
______. "Noites em vigília". In: Daniel Senise 2000–2006. Curitiba: Museu Oscar Niemeyer, 2006. [Folder]
______. "Vaso Chinês: entrevista com Agnaldo Farias". In: Daniel Senise 2000–2006. Curitiba: Museu Oscar Niemeyer, 2006. [Entrevista/Catálogo]

FERNANDES, JOSÉ CARLOS. Notas de um sobrevivente. Trabalhos de Daniel Senise expostos no Museu Alfredo Andersen discutem e estampam o destino incerto da pintura contemporânea. Gazeta do Povo, Curitiba, 16/09/97.
______. Um passado recente. Mostra Daniel Senise — Anos 90 ilustra a revolução pictórica feita pelo artista carioca. Gazeta do Povo, Caderno G, Curitiba, 01/12/98, p.1.

FERREIRA, GLÓRIA. "O vôo do bumerangue. Entrevista de Daniel Senise a Glória Ferreira". In: Daniel Senise. São Paulo: Galeria Thomas Cohn, 1999. [Entrevista/Catálogo]; BUENO, GUILHERME (Org.). Mapa do agora: arte brasileira recente na coleção João Sattamini do MAC de Niterói. São Paulo: Instituto Tomie Ohtake, 2002, p.194–197.
______. Vai–e–vens. In: Daniel Senise — 34–01 38 AVE, LIC/S.R. 34, RJ/W.L. 140, RJ. Salvador: Paulo Darzé Galeria de Arte, 2008.

FÈVRE, FERMÍN. Daniel Senise. Matter and Memory/Materia y Memoria. In: Arte al Dia, Buenos Aires, 2002, p.22–26.

FIORATTI, GUSTAVO. Daniel Senise realiza decalque às avessas. Artista brasileiro abre exposição na galeria Brito Cimino, apresentando trabalhos em grande formato. Folha de S. Paulo, Ilustrada, 22/08/05, p.E5.

FURTADO, MARTA. "Arte em branco e preto". In: BSB, 1986.

GALVÃO, JOÃO CÂNDIDO. "A Bienal de Veneza e a memória da cultura". In: Guia das Artes, n.19, São Paulo, 1990, p.22–24.

GARZA, JOSE. "Daniel Senise. Um científico de la creación". In: El Norte, 07/09/97, 10D.

GIOBBI, CÉSAR. A arte nos anos 80. O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Caderno de Programas e Leituras, São Paulo, 10/08/85, p.4.

GIOIA, MARIO. Senise explora ateliê e arquitetura em exposição. Pintor carioca surgido na geração 80 ganha mostra na Estação Pinacoteca, em SP. Folha de S. Paulo, Ilustrada, São Paulo, 14/03/09, p.E5.

GOMES, ALAIR. "A Bienal de 85 e seu grande tema". In: Cadernos Rioarte, Caderno Lilás, ano II, n.5, Rio de Janeiro, Instituto Municipal de Arte e Cultura, 1986, p.8.

GONÇALVES FILHO, ANTONIO. Daniel Senise assume a paródia pop na pintura. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, São Paulo, 23/11/99, p.2.

GRILLO, CRISTINA. Daniel Senise reflete sobre os contrastes. Folha de S. Paulo, Ilustrada, São Paulo, 26/06/96, p.3.

GUENTHER, BRUCE. Daniel Senise: surface dialogue. Chicago: Museum of Contemporary Art, 1991. [Catálogo]

HARA, HELIO; MILLEN, MANYA. A arte da apropriação. O Globo, Rio de Janeiro, 31/07/94.

HERKENHOFF, PAULO. "Sudário e esquecimento: uma tela de Daniel Senise nos diz que é impossível esquecer". In: Daniel Senise. São Paulo: Galeria Camargo Vilaça, 1993. [Catálogo]
______. Daniel Senise. New York: Charles Cowles Gallery, 1995. [Catálogo]

HERKENHOFF, PAULO; SMITH, GERI. Latin American Art. Global Outreach. In: Artnews, v. 90, n.8, New York, October 1991, p.88–93.

HERNANDEZ, ANA MARIA. El arte latinoamericano apuesta por una definición más universal. In: El Globo, Caracas, 27/06/96, p.31.

HOLLANDER, KURT. Report from Mexico I: Art of the "80s in Monterrey. In: Art in America, n.10, New York, October 1991, p.46–53.

Imagens cotidianas de Daniel Senise. Correio do Povo, Porto Alegre, 14/10/98.

INSTITUTO ITAÚ CULTURAL. Cadernos história da pintura no Brasil — Do conceitual à arte contemporânea: marcos históricos. São Paulo, 1994, p.22–23.

JACOBSON, KÁTIA. A imagem como fenômeno na pintura de Daniel Senise. 2000, 206p. Dissertação de mestrado em Arte. Niterói: Programa de Pós–Graduação em Ciência da Arte, UFF.

JOHANSSON, STIG. En gåtfull och svart varld. Brasilianaren Daniel Senise fascinerar och oroar på Galerie Engström. In: Svenska Dagbladet, Lördagen, 27/04/91, p.35.

KATO, GISELE. Pintura que brota do chão. O carioca Daniel Senise exibe em São Paulo uma nova série de obras criadas pelas marcas impressas nos pisos de seus ateliês. In: Bravo!, São Paulo, ano 8, n.95, agosto 2005, p.102–104.

KRUMM, ERMANNO. Per una magica biblioteca di Babele. In: Corriere della Sera, Milão, 26/09/93.

KUMLIM, EWA AXELSON. Daniel Senise. In: Paletten 201, n.2, Suécia, 1990, p.8–9.
______. Inte bara samba, banana och palmer. In: Manads Journalem, n.4, Stockholm, Bonniers Manads Tidningar Interprint, April 1991, p.50–58.

KUSPIT, DONALD. Fantasies of fate. New York: Galeria Ramis Barquet: Robert Miller Gallery, 1996. [Catálogo]

La influencia es inevitable para el pintor Daniel Senise. In: Tribuna de Monterrey, Monterrey, 09/09/94.

LAGNADO, LISETTE. Daniel Senise: conquistando o volume". In: Galeria, n.13, São Paulo, 1988, p.60–64.

LEFFINGWELL, EDWARD. Report from Brazil: São Paulo diary. In: Art in America, n.1, New York, January 1989, p.55–65.
______. Report from Brazil: Tropical Bazaar. In: Art in America, n.6, New York, June 1990, p.87–95.
______. Latin Soliloquies. In: Art in America, n.12, New York, December 1993, p.80–86.

LEIRNER, SHEILA. L"art du nouveau monde vers un monde nouveau. In: Amériques latines — art contemporain. Paris: Hôtel des arts — Fondation Nationale des Arts, 1992, p.11–16.

LEITE, RUI MOREIRA. Um sobrevivente da geração 80. Folha de S. Paulo, Ilustrada, São Paulo, 12/09/87.

LENCASTRE, CARLA. No ateliê/Daniel Senise. Rumo à fase do silêncio. O Globo, Rio de Janeiro, 21/02/90, p.3.
______. Além dos limites da sua geração. Depois de três anos, Daniel Senise mostra as pinturas mais recentes em uma individual no Rio. O Globo, Rio de Janeiro, 22/03/92.
LEÓN, CLAUDIA DE. Daniel Senise. No busca uma técnica formal. In: ABC, Monterrey, 07/09/94, p.4C.

LESSA, TERESA. Daniel Senise. In: Jornal Verve, n.28, Rio de Janeiro, outubro de 1989. [Entrevista]

LOCKE, ADRIAN. Voces. In: Cuerpos. Redes. Voces. Tránsitos: Horizontes Cambiantes. Madrid: Casa de América, 1999, p.25 e 88. [Catálogo]

LUCIE–SMITH, EDWARD. Latin american art in the Netherlands. In: Latin american art, vol.2, n.3, Summer 1990, p.73.

LUIS, CARLOS M. El mundo enigmático de Daniel Senise. El Nuevo Herald, Miami, 20/01/02, p.6.

MARIA, CLEUSA. Pisos na parede. O carioca Daniel Senise inaugura nova mostra no Rio, com série de pinturas criadas a partir do chão de seus ateliês na Lapa e no Queens nova–iorquino. Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 24/03/05, p.1.

MARTÍ, SILAS. Daniel Senise traz obras "opressoras". Artista da Geração 80 expõe na Vermelho novos trabalhos em grandes dimensões, inspirados na arquitetura do ateliê. Folha de S. Paulo, Ilustrada, São Paulo, 23/10/07, p.E5.

MARTINS, ALEXANDRE. Dois expositores em um. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 20/04/92.

MARTINS, MARÍLIA. O "sioux" da tribo arteira. Daniel Senise abre hoje mostra com oito telas na Thomas Cohn. Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 26/03/92, p.5.
______. A sóbria e instigante arte de Daniel Senise. Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 11/03/93, p.5.

MARTINS, REJANE. Os mistérios da arte. Daniel Senise comemora 15 anos de carreira com mostra e com o livro Ela que não está. Gazeta Mercantil, Porto Alegre, 14/10/98.

MASSI, FERNANDA P. Daniel Senise no rastro do tempo. Folha de S. Paulo, Revista da Folha, São Paulo, 24/10/93.

MATEVSKI, NIKOLA. Pinturas sobre pintura. Trabalhos recentes do carioca Daniel Senise ganham mostra no Museu Oscar Niemeyer. Gazeta do Povo, Caderno G, Curitiba, 27/07/06, p.1.

MATTOS, SIMONE. Daniel Senise abre exposição no Muma. Folha de Londrina, Londrina, 01/12/98, p.7.

MELLO, ALEXANDRE. Daniel Senise: o chão da oficina. In: FARIAS, AGNALDO; MELLO, ALEXANDRE. Daniel Senise: The Piano Factory. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson Estúdio Editorial, 2002.

MENDES, MARIA CRISTINA. O tempo na pintura de Paulo Pasta e Daniel Senise — uma poética do olhar. 2000, 41p. Monografia da especialização em História da Arte do Século XX. Curitiba: Embap.

MENDONÇA, CASIMIRO XAVIER DE. Decolagem segura. Veja, São Paulo, 27/03/85, p.143.
______. In: XLIV Esposizione internazionale d"arte: La biennale di Veneza. Veneza: Fabbri Editori, 1990, p.147. [Catálogo]

MEREWETHER, CHARLES. Displacement and the reinvention of identity. In: Latin American artists of the twentieth century. New York: MoMA, 1993, p.144–155. [Catálogo]

MESQUITA, IVO. Daniel Senise La mirada iluminante — The enlightening gaze. In: Daniel Senise: La mirada iluminante — The enlightening gaze. Monterrey: Marco (Museo de Arte Contemporáneo de Monterrey), 1994, p.15–20. [Catálogo]
______. Panorama da arte brasileira. São Paulo: MAM–SP, 1995, p.12–18. [Catálogo]
______. Território dos sentidos. In: Daniel Senise: ela que não está. São Paulo: Cosac & Naify, 1998, p.9–16.
______. Panorama del arte brasileño e Panorama of Brazilian Art. In: FERREIRA, GLÓRIA (Coord.). Arte contemporáneo brasileño: documentos y críticas/Contemporary Brazilian Art: Documents and Critical Texts. Santiago de Compostela: Dardo, 2009, p.117–125, 288–295.

MIGUEL, ANTÔNIO CARLOS. Rigor para os olhos do público. Daniel Senise mostra seus novos trabalhos no Paço Imperial e na Thomas Cohn. O Globo, Rio Show, Rio de Janeiro, 03/06/94, p.13. [Entrevista]

MIGLIO, P. Daniel Senise: pinturas que van más allá de todo. Expreso, Sección B, 06/11/96, p.2. [Entrevista]

MILLEN, MÀNYA. Senise vai a Senise, Venosa vai a Venosa. Artistas vão buscar em duas cidades italianas a inspiração para uma exposição conjunta. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 19/04/96, p.1–2.
______. A paisagem sob Senise. Artista expõe novas cenas, com figuras entre manchas. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 03/07/96, p.1–2.

MIRANDA, CLAUDIA. Um olhar sob a pintura. Senise mostra novas telas que comemoram 100ª exposição da Thomas Cohn. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 09/07/96, p.6. [Entrevista]

MOLINA, CAMILA. Documentário encerra mostra de Daniel Senise. Filme sobre o artista que vive em Nova York será lançado hoje no Instituto Tomie Ohtake. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, São Paulo, 28/06/02, p.16.
______. Variações no processo de fazer e reinventar pintura. O carioca Daniel Senise exibe suas recentes composições construídas. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, São Paulo, 23/08/05, p.5.
______. Daniel Senise cria jogo de perspectivas com suas pinturas. Artista abre hoje sua primeira individual na Galeria Vermelho com série de obras ainda feitas a partir do processo de colagem. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, São Paulo, 23/10/07, p.D5.
______. Sempre em torno do mesmo plano. Estação Pinacoteca mostra a trajetória do pintor Daniel Senise e exibe também obras de Amélia Toledo e de Fabrício Lopez. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, São Paulo, 14/03/09, p.D4.

MONACHESI, JULIANA. Daniel Senise desafia hierarquia das imagens. Folha de S. Paulo, São Paulo, 23/11/99, p.1
______. Senise apresenta novas paisagens. Espaço retratado traz rastro real. Folha de S. Paulo, Ilustrada, São Paulo, 19/03/02.

MORAES, ANGÉLICA DE. Daniel Senise expõe suas pinturas do Sudário. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, São Paulo, 14/10/93.
______. Senise, carreira sólida e linear. In: Jornal da Tarde, São Paulo, 04/10/93.
______. Galeria é inaugurada com exposição de Senise. Artista utiliza suas telas como janela e sudário. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, São Paulo, 04/09/97, p.6.

MORAIS, FREDERICO. Fúria expressionista nas cores de Senise. O Globo, Rio de Janeiro, 26/08/84.
______. Senise arranca cristais e ilumina o podium. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 25/06/86, p.6.
______. Anos 80: A pintura resiste. In: BR80: Pintura Brasil Década 80. São Paulo: Instituto Cultural Itaú, 1991, p.13–15. [Catálogo]
______. Inquestionável vocação para a pintura. O Globo, Rio de Janeiro, 22/03/92.

MORALES, MARCUS. Carnaval de l"art a São Paulo. In: Beaux arts: le magazine de l"actualité, n.150, 1996, p.100–101.

MORENO, HÉCTOR MAZA. Senise, actitud informal del arte. El Porvenir, Cultural, Monterrey, 07/09/94, p.4.

MOSÉ, VIVIANE. A intimidade da pintura. In: Daniel Senise. São Paulo: Galeria Brito Cimino, 2001, p.20. [Catálogo]

MOTTA, MORGAN DA. Um expoente da Geração 80 mostra sua produção recente. Hoje em Dia, Cultura, Belo Horizonte, 02/06/98, p.1.

MOURA, RODRIGO. Daniel Senise retorna ao Brasil mais conceitual. Pintor carioca expõe novas telas que tematizam arquitetura. Folha de S. Paulo, Ilustrada, São Paulo, 24/10/01, p.5.

MOYÁ, GERARDO LÓPEZ. "Muy pocas cosas valen la pena": Senise. El Porvenir, Cultural, México, 11/09/94, p.3.

NAME, DANIELA. A paixão barroca pela síntese. Daniel Senise celebra 15 anos de pintura, lança livro e monta ateliê em NY. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 01/09/98, p.1–2.
______. A cor da maturidade. Artistas da Geração 80 chegam à casa dos 40, avaliam o passado e mudam rumos. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 18/02/00, p.1–2.
______. O estilo não é uma camisa–de–força. O Globo, Rio de Janeiro, 18/02/00.
______. A arte de todos os lugares e de lugar nenhum. Com exposição nas Cavalariças do Parque Lage, Senise mostra suas respostas para a pintura contemporânea. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 18/10/01, p.2.
______. Pelos olhos de Senise. O Globo, Rio Show, Rio de Janeiro, 19/10/01, p.33.
______. Paisagem que transforma o céu em chão. Daniel Senise abre duas exposições na cidade, lança livro e cria painel gigantesco usando o carpete do MAC. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 20/03/03, p.8.
______. Vizinhos na arte. Daniel Senise e Angelo Venosa, dois grandes nomes da Geração 80, expõem no Rio. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 30/03/05, p.1.

NERY, NORMA. Daniel Senise e a tela que propõe. Correio do Brasil, Brasília, 13/07/86, p.26.

OLIVA, ACHILLE BONITO. Presenatazione. In: Frida Baranek, Ivens Machado, Milton Machado, Daniel Senise, Angelo Venosa. Roma: Sala 1, 1990, p.8–9. [Catálogo]

OLIVA, FERNANDO. Senise volta ao campo de batalha da pintura. O Estado de S. Paulo, Caderno 2, São Paulo, 24/10/01, p.12.

OMAR, ARTHUR. "O chão andaluz". In: Daniel Senise. Rio de Janeiro: Cavalariças, Projeto Zona Instável, Parque Lage, 2001. [Folder]
______. "O chão andaluz". In: Daniel Senise. São Paulo: Instituto Tomie Ohtake: Instituto Takano: Editora Códex, 2002.

ORSINI, ELIZABETH. O gênio da geração 80. Viaje Bem, Revista de bordo da Vasp, ano XXIV, n.3, São Paulo, 1995, Capa e p.28–33. [Entrevista]

OSORIO, LUIZ CAMILLO. Daniel Senise abraça o mundo com pincéis. Pintor carioca abre exposição em São Paulo e assume sua carreira internacional indo morar em Nova York. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 21/11/99, p.10.
______. Sem tinta e sem pincel. Em nova fase, Daniel Senise decalca na tela o chão das cavalariças. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 01/11/01.
______. Pintura e sociedade 1970/80. In: História de uma coleção: arte brasileira entre os anos 1960 e 1980 no acervo do banco JPMorganChase. Rio de Janeiro: Andrea Jakobsson, 2003, p.129–136.
______. Antologia de um mundo em metamorfose. Em mostra no MAM, o pintor confirma ter uma das trajetórias mais coerentes e relevantes surgidas nos anos 80. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 27/06/08, p.5.

PAPOULA, VERÔNICA. Pintura e decalque. Mostra revela as pesquisas de Daniel Senise sobre as texturas do chão. Gazeta Mercantil, Fim de Semana, São Paulo, 26/08/05, p.5.

PEDROSA, ADRIANO. Uma tela de Daniel Senise nos diz que é impossível ter certeza. In: Daniel Senise. Rio de Janeiro: Galeria Thomas Cohn Arte Contemporânea, 1994. [Catálogo]
______. Daniel Senise. In: Art Nexus/Arte em Colombia, n.21, Bogotá, 1996, p.36–39.
______. Daniel Senise. São Paulo: Galeria Cohn Edelstein, 1997. [Catálogo]

PELLIZZI, FRANCESCO. La asamblea de los pájaros. In: Mito y magia en América: los ochenta. Monterrey: MARCO, 1991, p.LIII–LXXIX. [Catálogo]

PIMENTA, ANGELA. Passeando com o cachorro. Pessimista e sombrio, Daniel Senise brilha com suas imagens ásperas e inquietantes. Veja, São Paulo, 13/10/93, p.117.

PINHARANDA, JOÃO. Daniel Senise, pintura. Público, Lisboa, 18/09/92.
______. Simetria essencial. Público, Lisboa, 14/10/92.

PINI, IVONNE. Editorial. Art Nexus/Arte em Colombia, n.21, Bogotá, 1996, p.7.

PIZA, DANIEL. Senise prova ser grande pintor. Folha de S. Paulo, Ilustrada, São Paulo, 05/05/95, p.4.
______. A persistência da pintura. Bravo!, São Paulo, novembro de 1999, p.82.

POMAR, ALEXANDRE. O lugar do enigma. Um pintor brasileiro no arranque da nova temporada. Expresso, Lisboa, 19/09/92.

PONTUAL, ROBERTO. Explode geração!. Rio de Janeiro: Avenir, 1985, p.91–92.
______. Consequência e reabertura 1976–1986. In: Entre dois séculos: arte brasileira do século XX na Coleção Gilberto Chateaubriand. Rio de Janeiro: Editora JB, 1987, p.502–512 e 524.
______. Crise et ouverture. In: BAYÓN, DAMIÁN; PONTUAL, ROBERTO. La peinture de l"Amérique Latine au XX. Siècle: identité e modernié. Paris: Éditions Mengés, 1990, p.208–217.

PRIAMI, ELDA. Pincel Milionário. Interview, n.161,1992. [Entrevista]

REIS, PAULO. A vanguarda já acabou. Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 26/06/93, p.1. [Entrevista]
______. Transparentes e silenciosas. Daniel Senise expõe suas "peles" e prova maturidade artística. Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 15/10/93.
______. Rio vê duas vezes Senise. Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 01/06/94, p.8.
______. Daniel Senise/Zona Instável. Rio Artes, Rio de Janeiro, ano 10, n.29, RioArte, novembro de 2001, p.30.

REIS, RONALDO. Sudário–memória. In: Daniel Senise — pinturas. Niterói: Galeria de Arte UFF, 1993. [Catálogo]

RIANI, MÔNICA. O caçador de imagens sutis. Enquanto aguarda homenagem no México, Senise abre duas exposições. Tribuna da Imprensa, Rio de Janeiro, 25/05/94.
______. Sob o signo da contemporaneidade. Daniel Senise inaugura hoje na Thomas Cohn a centésima exposição da galeria em Ipanema. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 11/07/96.

RITO, LUCIA. Duas visões de uma só geração. Daniel Senise e Alexandre Dacosta pintam com talento o silêncio e o caos dos 80. Jornal do Brasil, Rio de Janeiro, 1986, p.10.

ROELS JR., REYNALDO. O artista retorna a si mesmo. Jornal do Brasil, Caderno B, Rio de Janeiro, 20/06/86, p.7.
______. Daniel Senise. Galeria, n.28, São Paulo, 1992, p.52.
______. O desenho moderno no Brasil. São Paulo: MAM: Galeria de Arte do Sesi, 1993. [Catálogo]

SACCÀ, LUCILLA. Vanguarda brasileira e minerari italiani. In: Brasil: Segni d"Arte. Milão: 1993. [Catálogo]

SALLES, CECÍLIA ALMEIDA. Fato sem testemunha. In: Genesis, Paris, 2000.

SANTOS, PAULA CRISTINA BORGES ANICETO. A imagem como vestígio do real fragmentado em Pintura: a fotografia como arquétipo na captação e recriação da realidade. 97p., 2008. Dissertação de mestrado. Fbaup, Porto.

SCHNEIDER, DIETMAR. Kunst — Abenteuer brasilien. Kunst–Köln Magazine, Colônia, abril 1988, p.31–35.

SEARA, BERENICE. Diário de viagem às cidades–sobrenome vira uma mostra no Paço Imperial. Daniel Senise e Angelo Venosa expõem impressões da visita a Senise e Venosa. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 26/05/96, p.2.

SEBASTIÃO, WALTER. Senise mostra riqueza de recursos da pintura. Estado de Minas, Segunda Seção, Belo Horizonte, 12/07/90, p.1.
______. As "Paisagens" de Daniel Senise. Consagrado nacionalmente, o pintor carioca inaugura amanhã uma exposição na AM Galeria de Arte. Estado de Minas, 01/06/98, p.7.

Senise fala de seu prazer pela pintura. Cultura, Belo Horizonte, 11/07/90.

SHAW, EDWARD. The end of solitude. Artnews, n.19, Nova York, October 1990, p.138–143.

SOARES, CARLOS EDUARDO VIANNA A. Entrevista com Daniel Senise, Rio de Janeiro, 05/08/97. In: O rastro da modernidade: o discurso da modernidade e a pintura brasileira até o evento "Como vai você, Geração 80?". 204p., 1998. Dissertação de Mestrado em História e Crítica de Arte. PPGAV — EBA/UFRJ, Rio de Janeiro.

SULLIVAN, EDWARD. Artistas del siglo XX en Latinoamérica: una perspectiva de fin de siglo. Twentieth–century artists in Latin America: a view from the end of the century. In: Artistas latinoamericanos del siglo XX: Moma. Sevilla: Comisaría de la Ciudad de Sevilla para 1992; Moma e Tabapress, 1992, p.142. [Catálogo]

TEJADA, ROBERTO. Daniel Senise Telas Canvases 1988–1994. In: Daniel Senise La mirada iluminante — The enlightening gaze. Monterrey: Marco (Museo de Arte Contemporáneo de Monterrey), 1994, p.21–28. [Catálogo]

THEVENET, CLAUDIA. Paleta econômica. O pintor Daniel Senise na galeria Thomas Cohn. Programa, 12/07 a 18/07/96, p.24. [Entrevista]

TINOCO, BIANCA. As camadas de Senise. Jornal do Commercio, Artes Visuais, 27 e 28/03/05, p.8.

TONELLI, LUCIANA. "Paisagens" de Daniel Senise. Pampulha, Roteiro, Belo Horizonte, de 30 de maio a 5 de junho 1998, p.24.

TRIFF, ALFREDO. Art–Felt Design. A Brazilian"s paintings and Spanish designers work around space. Miami Newtimes, Miami, October 2002, p.24–30.

VELASCO, SUZANA. As partes que faltam à obra de Daniel Senise. Artista abre, no MAM, sua maior exposição já feita no Brasil e, na galeria Silvia Cintra, uma pequena mostra. O Globo, Segundo Caderno, Rio de Janeiro, 05/06/08, p.10.

VELOSO, MARCO. Sem título. In: Daniel Senise. Buenos Aires: Diana Lowenstein Fine Arts, 1999, p.7–9. [Catálogo]

VERAS, EDUARDO. Daniel Senise pinta a pintura. O artista carioca, que participa da Bienal de São Paulo, inaugura hoje exposição no Margs. Zero Hora, Segundo Caderno, Porto Alegre, 14/10/98.
______. Pintura desce o chão. Daniel Senise apresenta a partir de hoje no Margs telas construídas a partir de impressões do assoalho. Zero Hora, Segundo Caderno, Porto Alegre, 07/08/08, p.4.

VIDAL, CARLOS. Periferias. A Capital, Lisboa, 24/09/92, p.38.

VIEIRA, PAULO. Técnicas mistas como foco. Carioca Daniel Senise expõe na Paulo Darzé Galeria de Arte. A Tarde, Caderno 2, Salvador, 01/12/08.

VIEIRA, PAULO. Paulo Vieira entrevista Daniel Senise. In: LEAL, CARLOS (Ed.). Ateliês do Rio. Rio de Janeiro: Francisco Alves, 2006, p.68.

YOOD, JAMES. Daniel Senise. In: Artforum internacional, v. XXX, n.2, New York, October 1991, p.133.

ZAMBRANO, ELENA GUERRA. Senise y Smythe: dos contemporaneos. In: Movimiento Actual. Monterrey: Humanitas Movimiento Actual, ano VIII, n.93, outubro/novembro 1994, p.18–26. [Entrevista]